Seleção avança! O governo retrocede

01 de Julho de 2014

Foto: Divulgação
dilma e lula

– No sufoco, a seleção brasileira avançou mais uma etapa rumo ao título mundial ao vencer o forte e admirável time do Chile no estádio no Mineirão. Mas quem dera se nosso sucesso dentro de campo fosse geral. No rumo contrário, o governo brasileiro anda para trás e leva o Brasil junto. Em pleno período da Copa, números ruins da economia não param de ser divulgados.

– A arrecadação federal teve, por exemplo, uma impressionante queda de 17,37% no mês de maio em relação a abril. De janeiro a maio, a receita aumentou apenas 0,31% em relação aos primeiros cinco meses de 2013, descontada a inflação.

– Já o resultado das contas do governo central de maio apresentou um déficit de R$ 10,5 bilhões, simplesmente o pior resultado da história para o mês.

– No Relatório de Inflação do Banco Central, ou seja, um documento oficial, estão números por si só bastante estarrecedores: o Brasil de 2014 irá crescer 1,6%. Já o gasto público sobe 14,1% acima da receita. Ao mesmo tempo a indústria e a receita têm previsão de queda.
· Em toda a América Latina, o Brasil de Dilma só cresce mais do que El Salvador. Na América do Sul estamos em último lugar em crescimento econômico. Isso é ser desclassificado na primeira fase perdendo todos os jogos por goleada.

– De acordo com o BC, a indústria encolhe 0,4% este ano com queda de 1,9% na indústria de transformação no último trimestre e nova queda de 1,4% no primeiro trimestre do ano que vem.

– Já a inflação deste ano, na previsão do Banco Central, chega a 6,4%, mais uma vez no limite do teto da meta.

– Enquanto isso, dentro dos campos e nas festas das torcidas, continuamos, talvez,com a maior Copas de todos os tempos. Fora dos gramados, seguimos com um dos piores governos da República.

Fonte: Assessoria de Comunicação

Democratas estará na coordenação geral da campanha presidencial de Aécio Neves

01 de Janeiro de 1970

Foto: Mariana Di Pietro
DSC_1830

O presidente nacional do Democratas, José Agripino (RN), disse que o convite para ser coordenador da campanha do candidato tucano Aécio Neves (MG) à Presidência da República é resultado de uma relação natural entre as duas legendas. “Ninguém mais do que eu e Aécio discutimos o Brasil de norte a sul, leste a oeste. Há meses venho discutindo com ele o que fazer por Rondônia, São Paulo, pela Bahia, a montagem das chapas, a discussão de quem é quem. Então, essa coordenação é uma coisa mais ou menos natural pelo exercício das conversas entre mim e ele”, afirmou.

Nesta segunda-feira (30), Aécio Neves anunciou o senador também tucano Aloysio Nunes (SP) como vice de sua chapa. São Paulo é um importante colégio eleitoral já que possui 32 milhões de eleitores, o que pode ser decisivo para a vitória de um presidente. “Essa é uma chapa construída a partir de conversas amplas, que não inclui apenas o PSDB. O senador Agripino, o prefeito ACM Neto foram importantes para essa aliança. O Democratas é nosso partido irmão. O senador José Agripino terá um papel importante em todo o Brasil, em especial no Nordeste, pelo conhecimento que tem da região, pela altíssima credibilidade e autoridade politica que tem”, disse o candidato Aécio Neves.

O líder do Democratas na Câmara, Mendonça Filho (PE), disse não ter dúvidas de que a atuação do DEM, por meio do senador José Agripino, fará toda diferença na campanha de Aécio Neves. “Como um homem experiente que conhece o Brasil de ponta a ponta, ele vai fornecer sua experiência para que a campanha de Aécio tenha o melhor desempenho possível. É um homem nacional que conhece a política do Brasil de forma abrangente e absoluta“.

Agripino: Nordeste está representado na chapa de Aécio Neves para Presidência

01 de Janeiro de 1970

Foto: Mariana Di Pietro
DSC_1521

Por Fernanda Domingues

Um dia após ser convidado pelo candidato à Presidência da República Aécio Neves para ser o coordenador-geral de sua campanha, o senador José Agripino (RN) disse que o Nordeste brasileiro está representado na chapa tucana, sobretudo, pela força das ideias que o cargo impõe. Nesta segunda-feira (30), após meses de expectativa, o tucano Aécio Neves anunciou o senador paulista, também tucano, Aloysio Nunes como vice de sua chapa e o senador pelo Rio Grande do Norte José Agripino na coordenação geral da campanha.

“Como coordenador de campanha e difusor das ideias da campanha, será que a gente não vai ter mais força com ideias do que com presença na chapa? Porque você pode ser hoje coordenador de campanha e amanhã ser a própria expressão do governo no poder para fazer com que as necessidades do Nordeste sejam compreendidas e atendidas”, destacou Agripino.

O parlamentar disse ainda que o mais importante em uma chapa presidencial não é a quantidade de partidos e sim a qualidade das ideais. “O candidato Aécio é apoiado por vários partidos. O importante é qualidade da chapa e a qualidade das ideias”. Além do Democratas, os partidos que fazem parte da aliança com o PSDB são PPS, SDD, PTB, PTdoB, PMN, PTN, PTC.

José Agripino disse ainda que, ao contrário do PT, que governa para o próprio partido e para aliados políticos, a aliança da oposição trabalhará em função do povo do Brasil. “O importante é você reunir quadros que possibilitem ganhar a eleição para acabar com essa história de 12 anos de PT em que o poder é exercido em função das pessoas que exercem o poder e não em função do povo brasileiro”.

Mudar de verdade? Só trocando de presidente

24 de Junho de 2014

Foto: Divulgação
dilma e lula

– Havia muita coisa que não se encaixava no lançamento da candidatura à reeleição da presidente Dilma Rousseff nesse último fim de semana em Brasília. O slogan era Mais Mudança e Mais Futuro, e também falou-se em paz, mas não havia nada disso, muito pelo contrário.

– Para começar, como falar em mudança e defender a permanência de uma candidata e de um projeto de poder rejeitado por mais da metade da população? De acordo com o Ibope, chega a 52% o índice do eleitorado que não confia na presidente Dilma.

– Falou-se na convenção de negar o ódio, de pregar a paz. Mas foram comuns as provocações, as vaias e a agressividade de sempre direcionadas a todos que não comungam com as ideias e projetos do Partido dos Trabalhadores.
· A militância foi capaz de vaiar até um aliado, como foi o caso do ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, do PSD.

– Como falar em conciliação quando o próprio presidente do partido, Rui Falcão, vê os adversários políticos como inimigos a serem dizimados e os atribuiu as seguintes características: “ódio, o rancor, o preconceito, o racismo, a violência, o machismo, a homofobia, o fundamentalismo”.

– E imaginar que Rui Falcão pode ser apenas uma engrenagem no processo de difamação. O próprio chefe-maior, o ex-presidente, Lula, assim se referiu aos adversários políticos: “Para eles mulher nasceu para ser objeto cama e mesa”. Afora isso, Lula, sem citar nomes, fez as já tradicionais comparações com o ex-presidente FHC, que saiu do poder há 13 anos!

– Além disso, sobraram ataques para a mídia que, segundo o ex-presidente Lula, “golpeia, falseia, manipula, distorce, censura e suprime fatos no intento de nos derrotar”.
· Ao fundo uma militância gritava de maneira estridente “mídia fascista, sensacionalista”!
· Ao mesmo tempo, incoerentemente, a convenção tinha algo de farsesco, era muito produzida, muito rica, era para a “elite branca” de acordo com um militante histórico.

– Ao mesmo tempo, um alto dirigente do PT redige um artigo em que condena o trabalho de jornalistas e humoristas brasileiros. Praticamente os condena a ser “inimigos da pátria”.

– Curioso que no final de tantas incoerências a própria candidata, em seu discurso, surja como uma espécie de coadjuvante de sua própria festa. Ironicamente, disse que não faz política com ódio. Acreditou quem quis.

– E sobre o futuro? O futuro para Dilma é tentar concluir as obras prometidas ainda para 2010 que não conseguiu concluir.

– A verdade é que todo o falatório de mudanças quando parte de quem está há tanto tempo comandando a máquina do poder soa falso. Mudança agora, só com um novo presidente. Paz de quem sempre foi beligerante não cola. E futuro de quem é obcecado pelo passado, não faz nenhum sentido.

‘Cesta da Copa’ sobe até 3 vezes mais que a inflação

20 de Junho de 2014

Foto: Divulgação
copa

Produtos e serviços relacionados à Copa estão com alta de preços até três vezes acima da inflação acumulada nos últimos 12 meses. É o que mostra levantamento do Ibre (Instituto Brasileiro de Economia) da FGV, feito a pedido da Folha.

O estudo compara a variação de preços de 22 itens consumidos por brasileiros e turistas durante o Mundial. A maior “vilã” dessa “cesta da Copa” é a passagem área –alta de 27,29% (entre junho de 2013 e maio deste ano) ante inflação de 6,57% medida pelo IPC (Índice de Preços ao Consumidor).

Calculado pela FGV, o índice mede a variação de preços de bens e serviços de famílias com renda de 1 a 33 salários mínimos mensais em sete capitais: SP, Rio, BH Salvador, Recife, Porto Alegre e Brasília –todas na lista das 12 cidades-sede do torneio.

AUMENTO MÉDIO
O aumento médio dos 22 itens foi de 10,51% nos últimos 12 meses. “Ganharam de lavada’ em relação à inflação média (6,57%)”, diz o economista André Braz, responsável pelo levantamento. Entre os produtos com maior alta estão sucos de frutas, cerveja e chope (consumidos fora de casa) e carne bovina.

“Há um efeito da Copa mais relacionado ao preço de serviços como hotel e passagem aérea. São itens com crescimento significativo tanto no período de 12 meses como de um mês para outro.”

Além da Copa, outro fator que pode ter pesado na alta de preços de passagens e hotéis é a antecipação das férias escolares para junho.

Para os analistas, é difícil mensurar, entretanto, qual o peso da Copa na inflação. No caso dos alimentos, por exemplo, a pressão de custos é influenciada por fatores como clima e impostos.

“Alguns preços podem subir ainda mais na Copa devido ao aumento da demanda”, diz Gilberto Braga, professor de Finanças do Ibmec do Rio.

Fonte: Folha de S. Paulo

« 1 ... 148 149 150 151 152 153 154 155 156 157 158 ... 325 »