Parlamentares do DEM lamentam tragédia no Rio de Janeiro

08 de Fevereiro de 2019

Parlamentares do Democratas lamentaram o incêndio, nesta sexta-feira (8), na zona norte do Rio de Janeiro, que deixou pelo menos dez mortos e três feridos. As vítimas, que estavam no alojamento no Ninho do Urubu, como é conhecido o Centro de Treinamento (CT) do Flamengo, tinham entre 14 e 17 anos.

O presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre (AP), disse, em nota oficial que, neste momento, as prioridades devem ser o atendimento às vítimas e aos familiares. “Recebi com profunda tristeza a notícia do trágico incêndio no Centro de Treinamento Ninho do Urubu, nesta sexta-feira (8). Presto minha solidariedade às famílias, integrantes do Flamengo, funcionários e torcedores do time. Neste momento, as prioridades devem ser o pronto atendimento às vítimas e a assistência aos familiares. Defendo a celeridade na apuração das causas para que sejam cobradas as devidas responsabilidades”, disse o parlamentar.

O líder do Democratas no Senado, Rodrigo Pacheco (MG), também lamentou a tragédia e desejou solidariedade às famílias das vítimas. “Minha solidariedade aos familiares e amigos das vítimas do incêndio no Flamengo”, frisou o democrata em postagem nas redes sociais.

Arte: Sidney Lins Jr.
Texto: Fernanda Domingues

Protocolado nesta quinta (7), requerimento de instalação da CPI foi assinado por todos os senadores do DEM

07 de Fevereiro de 2019

O requerimento de instalação da comissão parlamentar de inquérito (CPI) de Brumadinho, apresentado nesta quinta-feira (7) na Secretaria-Geral da Mesa, foi assinado por todos os senadores do Democratas. Rodrigo Pacheco (MG), Davi Alcolumbre (AP), Jayme Campos (MT), Chico Rodrigues (RR), Marcos Rogério (RO) e Maria do Carmo Alves (SE) apoiam a investigação do rompimento da barragem, dia 25 de janeiro, que acarretou com a morte de pelo menos 150 pessoas e o desaparecimento de 182, segundo o Corpo de Bombeiros.

O requerimento apresentado consta com 42 assinaturas – eram necessárias 27 para o pedido de instalação. Para o líder do Democratas no Senado, Rodrigo Pacheco (MG), é imprescindível que a CPI de Brumadinho contribua para o esclarecimento do fato e não se torne apenas um “espetáculo”. “Pela gravidade do fato, pelas proporções do ocorrido e pelas circunstâncias, temos de usar todos os instrumentos possíveis, inclusive o instituto da CPI, fazendo o máximo para que ela não se torne um espetáculo inútil e, sim, algo que possa contribuir para o esclarecimento do fato”, frisou o democrata.

Já o senador por Roraima Chico Rodrigues disse que, além de investigar a tragédia, é preciso tomar medidas urgentes pela proteção das famílias que hoje moram na região. “Brumadinho se transformou num pesadelo para toda população que vive à margem das barragens de rejeito no Brasil. Então, a solução imediata tem que ser dada para que não deixem em pânico milhares de famílias que, na verdade, não sabem o que pode ocorrer nessas barragens. Então, o governo tem que dar uma resposta imediata”, destacou.

Instalação da CPI

A expectativa é de que a CPI seja instalada ainda em fevereiro. Os líderes partidários indicarão os membros logo após a leitura do requerimento em plenário, prevista para terça-feira (12). Essa informação foi confirmada pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre. Ainda não há indicação de presidente e relator. A Câmara dos Deputados também deve instalar uma CPI na próxima semana para tratar da tragédia.

Texto: Fernanda Domingues

Líder Rodrigo Pacheco sobre CPI de Brumadinho: temos que usar todos os instrumentos possíveis para a investigação do fato

01 de Janeiro de 1970

O líder do Democratas no Senado, Rodrigo Pacheco (MG), disse esperar que a Comissão Parlamentar de Inquérito de Brumadinho, cujo requerimento foi protocolado na manhã desta quinta-feira (7), contribua para o esclarecimento do fato e não se torne apenas um “espetáculo”. “Pela gravidade do fato, pelas proporções do ocorrido e pelas circunstâncias, temos de usar todos os instrumentos possíveis, inclusive o instituto da CPI, fazendo o máximo para que ela não se torne um espetáculo inútil e, sim, algo que possa contribuir para o esclarecimento do fato”, frisou o democrata.

O requerimento, protocolado na Secretaria-Geral da Mesa, foi assinado, até o momento, por 42 senadores – eram necessários 27 para o pedido de instalação. Os líderes partidários indicarão os membros logo após leitura do requerimento em plenário, prevista para a próxima terça-feira (12). A informação foi confirmada pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que também assinou o documento. Ainda não há indicação de presidente e relator.

Saiba mais
Ocorrido em 25 de janeiro, o rompimento da barragem em Brumadinho provocou a morte de pelo menos 150 pessoas, deixando outras 182 desaparecidas, segundo o Corpo de Bombeiros. A expectativa é de que a CPI seja instalada ainda em fevereiro. O pedido de criação da CPI foi apresentado pelos senadores Otto Alencar (PSD-BA) e Carlos Viana (PSD-MG). A Câmara dos Deputados também deve instaurar uma CPI na próxima semana para tratar da tragédia.

Foto: Sidney Lins Jr.
Texto: Fernanda Domingues

Em seu primeiro discurso como senador, Chico Rodrigues pede união do Legislativo para fazer o país crescer

01 de Janeiro de 1970

Em seu primeiro pronunciamento na tribuna do Senado Federal, o senador Chico Rodrigues (RR) disse, nesta quinta-feira (7), que o Brasil tem grandes desafios pela frente, como trabalhar pela unidade, pela geração de emprego e renda e pela educação, principalmente dos mais jovens. “Temos que trabalhar pela unidade, igualdade e, acima de tudo, pela nação. Somos um Senado forte, experiente e renovado. Estamos preparados para trabalhar com os outros Poderes para construir o equilíbrio que o Brasil tanto precisa”.

Para o parlamentar por Roraima, a palavra que deve conduzir o país, neste momento, é ordem. “Ordem para sair de casa sem medo da violência. Ordem para reconduzir os jovens para os caminhos da educação. Ordem para trazermos de volta investimentos para fomentar os empregos que estão tão escassos hoje para os brasileiros. Ordem para buscarmos o desenvolvimento sustentável. Ordem para acabar com a corrupção, que se instalou em tantos setores do nosso Brasil”, destacou.

Chico Rodrigues afirmou ainda que os senadores precisam colocar as divergências político-partidárias de lado para, juntos, lutarem por um país mais igualitário. “Temos que ter união para transformar a realidade da nação brasileira. As questões partidárias têm que ser colocadas, neste momento, de lado para que não atrapalhem a condução de nossos trabalhos”, frisou. “Temos que trabalhar a favor do povo brasileiro, porque foi ele que nos colocou aqui”, acrescentou.

Ao finalizar seu discurso, o senador disse que os desafios do país são grandes, como trabalhar pela geração de emprego e pela educação. “Precisamos pensar nos mais pobres e ajudá-los a desenvolver as ferramentas, que são a educação e o trabalho, para crescer. Os brasileiros precisam de dignidade para viver”, disse. “Os desafios que vamos enfrentar são reais, são sérios, muitos sérios. Mas, estamos aqui porque escolhemos a esperança ao invés do medo. O Brasil tem que vir em primeiro lugar”, concluiu.

Foto: Assessoria do senador Chico Rodrigues (RR)
Texto: Fernanda Domingues

Em chapa única, Senado elege Mesa Diretora para o biênio 2019-2020

06 de Fevereiro de 2019

Um dia após a reunião de líderes que definiu a posição de cada partido na Mesa Diretora do Senado Federal, o plenário elegeu, nesta quarta-feira (6), por 72 votos a favor, dois contra e três abstenções, a chapa única articulada entre os líderes partidários junto ao presidente da Casa, Davi Alcolumbre (AP).

A 1ª vice-presidência ficou com o senador Antonio Anastasia (PSDB-MG); a 2ª vice-presidência com o senador Lasier Martins (Podemos-RS); a 1ª secretaria com o senador Sérgio Petecão (PSD-AC); a 2ª secretaria com o senador Eduardo Gomes (MDB-TO); a 3ª secretaria com Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e a 4ª secretaria com Luis Carlos Heinze (PP-RS).

Também foram escolhidos para a 1ª suplência da Mesa o senador Marcos do Val (PPS- ES); para a 2º suplência o Weverton (PDT-MA); para a 3ª suplência o senador Jacques Wagner (PT-BA); e para a 4ª suplência a senadora Leila Barros (PSB-DF).

Em seu discurso logo após a proclamação do resultado, Alcolumbre ressaltou que, desde que assumiu o comando da Casa, trabalhou pelo diálogo e entendimento com todos os partidos para construir, segundo ele, uma chapa democrática e coerente. “Nesses dois dias, dialogamos com senadores de todos os partidos. Busquei alcançar o entendimento no dia que sentei nesta cadeira. Foi o que estabeleci como ponto de partida para a construção do mandato de presidente”, destacou o democrata.

O líder do Democratas no Senado, Rodrigo Pacheco (MG), elogiou a capacidade de articulação de Davi Alcolumbre, que reuniu mais 11 partidos na composição da Mesa Diretora do Senado. “Parabéns pela nobreza, pelo caráter, pela forma como conduziu esse processo que culminou numa chapa única de escolha para a Mesa Diretora deste Senado Federal”, afirmou. “Nós, do Democratas, nos orgulhamos muito de Vossa Excelência ocupar essa cadeira; dessa capacidade regimental, do cumprimento constitucional. É uma satisfação para a sociedade brasileira, que espera isso do Senado”, acrescentou.

Foto: Sidney Lins Jr.
Texto: Fernanda Domingues

« 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 ... 325 »