Pacheco diz que democracia sólida e responsabilidade fiscal tornam Brasil ambiente seguro para investimentos internacionais

16 de Setembro de 2021

O presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco (MG), disse, nesta quinta-feira (16), que o Brasil precisa assimilar quatro principais conceitos para atrair investimentos internacionais e, consequentemente, promover o desenvolvimento nacional: união, respeito, responsabilidade e otimismo. O senador participou de debate sobre “investimentos e parcerias do Banco Brics”, promovido pela Comissão de Relações Exteriores do Senado, e reforçou que o país tem demonstrado compromisso com as reformas estruturantes, com a solidificação da democracia e o estado democrático de direito e, por isso, tem se tornado um ambiente seguro e propício para investimentos.

 

“A democracia do Brasil é muito jovem e, como toda juventude, comete erros, acertos, tem seus arroubos, mas ela é inegociável e jamais retrocederá. Essa é uma garantia que o Parlamento precisa dar a quem nos vê mundo afora. O Congresso, o Poder Judiciário e as Forças Armadas têm a compreensão da prevalência da democracia como ambiente único de desenvolvimento. E os problemas que temos na relação entre os poderes são totalmente solucionáveis”, afirmou o parlamentar.

 

Rodrigo Pacheco frisou que, nos seis últimos anos, o Brasil tem demonstrado compromisso e responsabilidade fiscal ao aprovar matérias primordiais para o equilíbrio das contas públicas. O senador pontuou como exemplo as reformas trabalhista e previdenciária; a lei de terceirizações; o teto de gastos públicos; a PEC Emergencial; mudanças de marcos legislativos, como o do saneamento básico; a autonomia do Banco Central, entre outras matérias.

 

“Tivemos grandes evoluções nos últimos anos. A reforma da Previdência, por exemplo. O mercado e setor financeiro a aguardavam porque era uma demonstração de responsabilidade da nação brasileira com suas próprias contas. A nova lei de recuperação judicial e falência, o novo marco do futebol. Tudo isso é uma demonstração de responsabilidade do Brasil com suas contas públicas. Isso é coisa de país sério”, destacou Rodrigo Pacheco.

 

Segundo o parlamentar, o país ainda tem grandes desafios a enfrentar, como a questão ambiental, mudanças no sistema tributário e a reforma administrativa. E acrescentou que o apoio internacional é imprescindível para ajudar o Brasil a sair da crise econômica provocada pela pandemia. “Temos que reconhecer que o Brasil precisa de apoio para a saída da crise econômica, para a retomada da recuperação econômica uma vez que a pandemia travou boa parte da nossa economia, gerando aumento da desigualdade e problemas crônicos. Sabemos de todos eles. Por isso, precisamos de apoio, do voto de confiança e, consequentemente, desse crédito para a nação brasileira pelos bancos internacionais. Até porque é fato que tivemos grandes evoluções nos últimos anos”, finalizou.