Senadora Maria do Carmo defende desoneração da folha salarial

08 de Novembro de 2019

A senadora Maria do Carmo Alves (SE) defendeu, nesta sexta-feira (8), que a proposta de reforma tributária, em tramitação no Congresso Nacional,  contemple a desoneração da folha de pagamento das empresas que contratarem trabalhadores que ganham, no máximo, um salário mínimo e meio. Para a parlamentar, a redução de impostos sobre os salários dos funcionários contribuiria para a geração de novos empregos, impactando diretamente na economia e nos demais indicadores sociais do país.

 

Para Maria do Carmo, é oneroso gerar emprego no Brasil uma vez que esse gasto não se limita aos vencimentos salariais. “Há uma gama de encargos e obrigações que elevam essa conta absurdamente, o que acaba gerando o fechamento, especialmente, das micro e pequenas empresas. Ao desonerar essa folha, permite-se a abertura de mais postos de trabalho no país que hoje ostenta uma triste realidade com mais de 12 milhões de desempregados”, observou.

 

Pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV), em parceria com a Confederação Nacional das Indústrias (CNI), revela que a remuneração de um funcionário com um ano de vínculo, corresponde a uma média de 32% para a empresa. “De acordo com esse estudo, o restante é referente a impostos e atribuições aplicadas aos empregadores, assim como aos trabalhadores que, também, são penalizados”, disse a senadora, ressaltando a necessidade de se rever esse cenário.