Treze governadores são eleitos no 1º turno

Nas eleições de ontem, 13 estados já escolheram o seu governador no primeiro turno. Dois senadores foram eleitos para governos estaduais: Ronaldo Caiado (DEM), eleito pela primeira vez governador de Goiás, com 59,73% dos votos válidos, e Gladson Cameli (PP), eleito pela primeira vez ao governo do Acre, com 53,69%.

Os outros 11 governadores que foram eleitos em primeiro turno são Renan Filho (MDB), em Alagoas; Rui Costa (PT), na Bahia; Camilo (PT), no Ceará; Renato Casagrande (PSB), no Espírito Santo; Flávio Dino (PCdoB), no Maranhão; Mauro Mendes (DEM), em Mato Grosso; João Azevêdo (PSB), na Paraíba; Ratinho Júnior (PSD), no Paraná; Paulo Câmara (PSB), em Pernambuco; Wellington Dias (PT), no Piauí; e Mauro Carlesse (PHS), no Tocantins.

A senadora Regina Sousa (PT) será vice-governadora do Piauí. Em 2010, foram 18 governadores eleitos no primeiro turno. Em 2014, 13 estados também definiram o governo sem necessidade de segundo turno.

Segundo turno
Eleitores de 13 estados e do Distrito Federal só vão conhecer seus novos governadores após o segundo turno, em 28 de outubro. Na votação de ontem, nenhum candidato desses estados conseguiu obter mais da metade dos votos válidos para ser eleito em primeiro turno.

Entre os que vão para mais uma disputa, estão três senadores. Um deles é Antonio Anastasia (PSDB), candidato ao governo de Minas Gerais, segundo maior colégio eleitoral do Brasil. Ele computou 2.814.466 votos (29,06%) e vai enfrentar o novato Romeu Zema (Novo), que teve o apoio de 4.138.905 eleitores (42,73%), ficando em primeiro lugar.

Outra senadora que vai disputar o segundo turno é Fátima Bezerra (PT-RN). Ela teve 46,17% dos votos e vai para uma disputa contra Carlos Eduardo (PDT), que ficou em segundo lugar, com 32,45%. João Capiberibe (PSB-AP) também está na disputa em segundo turno ao governo do Amapá. Ele teve 30,1% dos votos e concorrerá contra Waldez (PDT), que ficou em primeiro lugar, com 33,55%.

Capiberibe obteve uma liminar para ter seus votos computados. Antes a Justiça Eleitoral cassara sua candidatura por rejeitar o registro do seu vice, Marcos Roberto (PT), tornando nulos seus votos.

Texto: Agência Senado
Foto: Divulgação